Judas Iscariotes foi mesmo um Traidor?

Compartilhe:

Judas Iscariotes é tido como o traidor de Jesus Cristo, aquele que o entregou para ser crucificado, aquele que o vendeu por 30 moedas de prata, cujo reconhecimento foi um beijo na face de Jesus para que os soldados soubessem a quem prender, Judas que ausentou-se na ultima ceia para fazer aquilo que deveria fazer, um dos doze discípulos que acompanharam Jesus durante a sua trajetória de evangelização, Judas que se arrependeu depois de tê-lo traído e enforcou-se pondo fim a sua vida, porém sabemos que Deus tinha um plano para a vida de Jesus e Jesus sabia que morreria para a salvação da humanidade e sabia também que seria traído, como notamos na ultima ceia que disse para seus discípulos que alguém dos seus o trairia, desse modo, levantamos a seguinte questão, se tudo isso fazia parte do plano de Deus, Judas foi mesmo um traidor? Ou apenas cumpriu com a sua missão?

Se tomarmos como base a Missão de Jesus e tudo o que sabemos sobre a vontade de Deus para que se cumpra na vida de Cristo, não podemos deixar de refletir que alguém trairia Jesus, que Jesus seria morto e crucificado, seria entregue pelas mãos de pessoas e padeceria por nós, sabemos que quando Deus tem um plano para nossas vidas, não duvide, na hora certa tudo acontece, as pessoas se mobilizam, nossas ideias mudam, o cenário se transforma e tudo acontece da forma mais natural possível, assim se cumpre a vontade de Deus em nossas vidas, vemos que Jesus clama para Deus que se possível fosse que o livre desse mal, mas acima de tudo, que fosse feita a vontade de Deus e a vontade de Deus se fez, com a traição de Judas e com a sua morte na cruz, talvez essa foi a vontade de Deus para a vida de Jesus, já que Jesus entregou a sua vida nas mãos do seu Pai celeste, então, se alguém haveria de trair Jesus, se alguém teria de vendê-lo, se havia chegado a sua hora de partir e era necessário que algo acontecesse para que Ele fosse preso, Será que Deus não usou Judas como instrumento para que assim se cumprisse? E se a missão de Judas era realmente essa, por que ele é tido como traidor? Nesse caso Judas não é, e nunca foi de fato um traidor, mas sim um cumpridor da palavra de Deus, aquele que arriscou toda a sua vida para que se cumprisse a vontade de Deus Pai, é algo que devemos pensar, não afirmo aqui que isso seja verdade, somente Deus sabe o que de fato aconteceu, mas acredito que é algo que devemos analisar e refletir sobre esse ponto.

A Traição de Judas com toda certeza não foi apenas uma traição comum, mas teve pontos relevantes que devemos analisar, Judas em primeiro lugar traiu a confiança de Jesus, Judas que acompanhou Jesus por todo o seu caminho de pregação, viu muitos milagres, ouviu palavras que jamais havia ouvido e foi privilegiado de estar ao lado de Jesus Cristo, o messias, o filho de Deus, Judas recebeu toda a instrução de Jesus e mais, recebeu uma sabedoria acima da sabedoria que o mundo pode proporcionar, recebeu a sabedoria divina, assim, Judas com o seu beijo, despreza tudo o que Jesus o havia ensinado, mostrado e dito, Judas deixa para trás todo o seu aprendizado, não reconhecendo assim todo o amor que Jesus teve com ele, Jesus que tratou seus discípulos de modo tão importante, lhes concedendo poder para que fizessem tudo o que Ele havia feito e os ensinando como um pai ensina a cada um de seus filhos, Jesus pregava com amor e suas ações confirmavam que de fato era ele o messias, pois jamais houve homem igual e Jesus, Judas não se importou, Judas traí toda essa confiança que Jesus tinha para com ele, pois para estar entre os doze, com certeza Jesus escolheu e escolheu muito bem entre toda uma multidão que o seguia, como se diz, escolheu a dedo cada um e Judas foi um desses escolhidos, o segundo ponto é que Judas traiu além da confiança, as verdades que Jesus o havia ensinado, ah se Judas tivesse compreendido de coração o que significava as palavras “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” a traição não aconteceria, pois Judas não amadureceu o seu altruísmo para se colocar no lugar do próximo, pensou em si, pensou nas 30 moedas de prata, de tal modo importante vemos que Judas não temeu a Deus, mas seguiu em frente com o seu plano de traição até o fim, independentemente das consequências que poderia sofrer por parte de Deus, Judas não pensou em Deus quando decidiu assim efetivar o seu plano.

Percebemos que Judas se arrepende assim que ocorre a traição, outro ponto importante, é que quando Judas chega com os soldados para fazer a prisão de Jesus, assim que lhe dá o beijo e os soldados que o acompanham se aproximam de Jesus, um dos discípulos que estavam com Jesus usa de sua espada para atingir um soldado e assim corta-lhe a orelha, Jesus o repreende e põe a orelha do soldado no lugar em que estava, colando-a, nessa mesma hora esse soldado reconhece a santidade de Jesus e se arrepende retirando-se do local, nada relata sobre a reação de Judas nesse instante, mas com certeza isso devia ter lhe mexido, começando ai já o seu arrependimento, Judas como vemos, depois de seu arrependimento volta para aqueles que lhe deram as moedas de prata e as devolve, reconhecendo a sua falha, mas de nada adianta mais, Jesus já está preso, então Judas tomado de total arrependimento enforca-se, não aguentando mais viver com essa culpa.

Esse artigo tem a finalidade de levar os cristãos a pensarem a respeito desses pontos, é um questionamento a ser levantado, a igreja sempre tratou Judas como um traidor, mas será que de fato ele foi isso mesmo? Coloquei algumas citações para reflexão individual, vendo e analisando esses pontos, sabendo que Judas talvez realmente tinha que fazer isso, sabendo que se arrependeu de tal forma que se enforcou reconhecendo a sua culpa, será que ainda devemos o chamar de traidor? Mas por outro lado, Judas conhecendo as leis de Deus, convivendo com Jesus, não temendo a Deus, não amando o próximo como a ele mesmo, deveria estar isento de culpa? Cabe a cada um de nós analisarmos o cenário e tirarmos as nossas conclusões.

Compartilhe: